Quais ferramentas de construção de comunidade devemos considerar?

O envolvimento da comunidade está no cerne de um programa de membros. Ao contrário das assinaturas, os programas de membros não consistem em relacionamentos baseados em transações comerciais — a membresia fundamenta-se em um sentimento de pertencimento e de afiliação a uma organização voltada para uma missão. 

O uso de ferramentas de construção de comunidade permite que você integre membros — e membros em potencial — aos processos de suas reportagens, e permite que você incorpore essas vozes em suas matérias. As ferramentas de construção de comunidade também podem ajudá-lo a realizar pesquisas de audiência que podem informar o seu programa de membros.

Ao escolher ferramentas para construir uma comunidade online, você deve adotar uma abordagem de trabalhos a serem feitos, para assim decidir qual produto se encaixa melhor em suas necessidades. Escolha a ferramenta com base no que você espera aprender com a sua comunidade. Aqui estão alguns trabalhos a serem feitos que combinam com as ferramentas apresentadas a seguir:

  1. Solicitar a opinião da comunidade
  2. Comunicar-se com os leitores em um canal privado
  3. Promover discussões entre a comunidade

Se quiser solicitar a opinião da comunidade, considere o Hearken. 

O software e os serviços de consultoria da Hearken ajudam os meios de comunicação a incluírem o público à medida que a matéria é produzida, desde a sua concepção até a publicação, permitindo que os membros da comunidade deem sugestões, votem e participem de forma significativa da elaboração das matérias. 

Por exemplo, o programa LAist, da rádio KPCC, usou o Hearken para solicitar e responder a perguntas da comunidade sobre o coronavírus. Em agosto de 2020, a estação de rádio pública americana tinha respondido a mais de 4 mil perguntas do público.

Se você deseja se comunicar com os leitores em um canal privado e individual, considere serviços de mensagens de texto como GroundSource, Subtext, Reach by EdNC, WhatsApp ou outros aplicativos de mensagens.

As mensagens de texto — seja por SMS ou em aplicativos de bate-papo como o WhatsApp — oferecem à sua redação uma conexão direta com as pessoas no dispositivo onde elas passam a maior parte do tempo. Mensagens de texto também podem ser um meio eficaz de alcançar pessoas que podem não ter acesso à Internet. “O público de mensagens de texto sem fins lucrativos cresceu 26% em 2019, num período em que o público do Facebook cresceu apenas 4% e o público de listas de email diminuiu em 2%”, segundo a empresa de pesquisa sem fins lucrativos M +R.

Diversas ferramentas diferentes surgiram nos últimos anos para permitir que redações enviem mensagens de texto a seus públicos. 

GroundSource: A plataforma e o serviço de consultoria da GroundSource ajudam meios de comunicação a mandarem e receberem mensagens de texto para compartilhar informações e reunir perspectivas locais.

O Chalkbeat, do Tennessee, usou o serviço da GroundSource para enviar mensagens de texto em Memphis com informações sobre onde as pessoas poderiam obter refeições grátis durante o lockdown na pandemia de coronavírus. O veículo decidiu usar mensagens de texto porque percebeu que muitas das famílias afetadas não tinham acesso à internet ou dados de celular para conseguir acessar uma ferramenta específica no site do Chalkbeat. Ainda assim, a maioria das pessoas poderia obter informações por SMS.

Subtext: Criado pelo Advance Media’s Alpha Group, o Subtext é uma plataforma que disponibiliza ferramentas para facilitar conversas por SMS com leitores e inclui opções de análise de métricas e monetização. 

O BuzzFeed News usou o Subtext para pedir aos leitores perguntas sobre o coronavírus, e usou essas perguntas para criar uma coluna em seu site. O site foi capaz de aprender o que seus leitores queriam saber e responder com uma cobertura feita sob medida. O Subtext escreveu o seguinte em seu Medium

“Mesmo sem pedir, o BuzzFeed News recebe muitas perguntas via mensagens de texto. Junto com eventuais solicitações ao público, obter perguntas tem sido relativamente fácil. As questões variam de ‘quando é tranquilo não usar máscara?’ até ‘é antiético engravidar agora?’”.

Reach by EdNC: Mensagens de texto fazem parte da plataforma Reach, que é mais ampla e foi criada pelo EducationNC para proporcionar vários tipos de envolvimento da comunidade por meio de newsletters, mensagens de texto, pesquisas e muito mais. 

O EdNC usa a plataforma de mensagens de texto da Reach para conduzir pesquisas com seu público toda semana sobre quais são as últimas notícias ligadas à educação na Carolina do Norte. 

WhatsApp: Muitos veículos usam o aplicativo de mensagens de propriedade do Facebook para compartilhar notícias e atualizações com o público. Embora o Facebook tenha colocado limites na quantidade de mensagens que podem ser disparadas em massa via WhatsApp para tentar reprimir a desinformação, o aplicativo permanece sendo uma plataforma que tem um público amplo. O WhatsApp possui uma plataforma de negócios para apoiar empresas de todos os portes que desejam alcançar o público. 

O Documented, um veículo sem fins lucrativos que cobre a comunidade de imigrantes de Nova York, distribuía uma newsletter popular no WhatsApp e usou a plataforma para atualizar o público sobre a Covid-19 em 2020. O fundador Mazin Sidahmed descreveu o processo ao American Press Institute.

Se você quiser realizar uma discussão entre a sua comunidade, use a plataforma Coral, da Vox Media, o Discourse ou o Crowdstack.

Coral by Vox Media: A plataforma de comentários “Talk”, de código aberto e criada pela Coral, oferece suporte para discussões respeitosas e voltadas para a comunidade, com ferramentas para moderadores, jornalistas e administradores de comunidade. Recentemente a Coral também ganhou uma nova ferramenta de perguntas e respostas

O jornal argentino Página/12 usa o “Talk”, da Coral, como benefício exclusivo para os seus membros. Uma vantagem de aderir ao programa é poder comentar artigos e participar de discussões com jornalistas. Esse benefício adicional levou as pessoas a se inscreverem como membros, disse Mariano Blejman, diretor digital do Grupo Octubre, a organização sem fins lucrativos que é proprietária do Página/12. 

Discourse: O Discourse, uma plataforma de discussão de código aberto, foi projetado para funcionar como uma lista de e-mails, um fórum de discussão, uma sala de bate-papo permanente e uma API abrangente. 

Matt Kiser, que dirige o WTF Just Happened Today?, hospeda a plataforma da comunidade do site no Discourse porque é gratuito e de código aberto. 

Crowdstack:  O Crowdstack hospeda comunidades e apresenta ferramentas para segmentar membros por função, manter membros engajados, atribuir permissões,monitorar atividades e enviar mensagens para construir e manter comunidades.

O Pennyhoarder, um site de finanças pessoais,começou os seus esforços de engajamento da comunidade no Facebook, mas transferiu as suas conversas para o Crowdstack, porque queria ser proprietário dos dados e fornecer aos seus membros níveis mais elevados de privacidade.