Sabemos como testar nossas ideias e iterar?

Não existe uma fórmula simples e única para todos os programas de membros. A nossa equipe de pesquisa gostaria de poder dizer “cobre X, contrate Y funcionários responsáveis ​​pelo programa, faça parcerias com esses tipos de veículos para veicular Z matérias anualmente, e, em seguida, veja as oportunidades de colaboração com o público e o dinheiro entrando.”

Mas há muitas variações nos meios de comunicação e nas comunidades a que eles servem para ser possível oferecer uma fórmula única. Um programa de membros exige tempo, experimentação e repetição para dar certo — e até mesmo a resposta “certa” mudará com o tempo. A capacidade organizacional de testar, aprender e replicar os expedientes, em ciclos, é crucial para você adotar e desenvolver um programa de membros, junto com as necessárias rotinas de membros.

A capacidade de uma organização de testar e replicar aquilo que ela faz pode se expandir por meio da criação de uma “mentalidade de produto”, de pesquisas com a audiência e da criação de novas maneiras de se envolver com o público. Um pouco de flexibilidade no início — fazer algumas pequenas experiências como testes, que lhe permitam aprender e conhecer o que funciona — ajudará enormemente os seus primeiros esforços para estabelecer um programa de membros. É por isso que dizemos que o elemento básico de um programa de membros é a “tentativa”. Experimente uma ideia, baseando-se em seus conhecimentos, para ver se ela funcionará com os seus membros. Veja o que acontece. Revise-a, se for preciso, ou deixe-a de lado, se não tiver funcionado. O truque é não investir muito em uma tentativa até você saber que tem algo que funciona. Vá para “Como adotar uma mentalidade de produto” para saber mais sobre como desenvolver essa aptidão.

 

Como o Narwhal adotou uma mentalidade baseada em testes e aprendizado

O Narwhal desenvolveu um ritmo no qual realiza pequenos testes para otimizar cada etapa do seu funil de audiência.